23Outubro2019

                                                                                                                                                                                                                              ÁREA RESTRITA | DIRETORIA

Você está aqui: Principal

Artigos

cabec boletim materias

A psico-oncologia enquanto especialidade

A psico-oncologia é uma área do saber que integra conhecimentos da oncologia e psicologia e é considerada em todo o mundo como uma especialidade da psicologia da saúde. Ela compreende o estudo das vivências psicossociais do paciente oncológico diante de cada etapa do câncer (prevenção, diagnóstico, tratamento e follow up), abarca ainda a assistência junto aos familiares e profissionais da saúde envolvidos no cuidado. Diante do aumento da prevalência anual (dados do INCA) de casos de câncer no Brasil, as atualizações constantes do tratamento visando a cura e a melhoria da qualidade de vida dos pacientes, a Psico-Oncologia vem ganhando um espaço importante na assistência em saúde. No Brasil, existem especializações (presenciais e à distância) que formam profissionais habilitados a abordar os aspectos psicossociais do câncer na equipe de saúde.  As pesquisas compreendendo os aspectos comportamentais, emocionais e sociais do paciente com câncer tem se intensificado para conseguir abarcar todas as necessidades integradas aos demais aspectos da assistência em saúde na oncologia. Neste sentido, fala-se muito em minimizar os efeitos colaterais do tratamento, auxiliar no manejo da dor crônica, trabalhar a comunicação na tríade (paciente, família e equipe de saúde), mas também se aborda sobre a prevenção da doença e o cuidado aos sobreviventes do câncer ao longo do tempo. Um tema que tem tido grande repercussão há algum tempo é a prevenção. Campanhas preventivas ocorrem a algum tempo e tem importante impacto nos comportamentos das pessoas, tais como a do “outubro rosa” (câncer de mama) e a do “novembro azul” (câncer de próstata), mas a compreensão dos fatores emocionais e comportamentais das pessoas têm despertado grande interesse dos pesquisadores para compreensão de como as campanhas podem ser mais efetivas para uma detecção precoce da doença e um prognóstico favorável. Além disso, a terapia cognitivo-comportamental (TCC) traz algumas atualizações (na terceira onda das TCC´s) que favorecem significativamente a minimização da ansiedade, manejo da dor crônica e sintomas depressivos, como por exemplo: a terapia da aceitação e compromisso e o mindfulness. Muito se conhece sobre a assistência psicológica em oncologia, entretanto ainda temos muito “a saber” para uma construção de ações atualizadas e consistentes que acompanhem a abordagem oncológica.

 

carolina seabra 2

Carolina Seabra
Presidente da Diretoria Regional /RS da SBPO
Psicóloga, Especialista em Psico-oncologia, Psicologia Médica e Psicologia Hospitalar. Mestre em Psicologia Clinica
CRP 07/20340